Ir para o Conteúdo

O caminho para o sucesso de uma migração para a Cloud AWS

AWS

Hoje em dia é difícil falar de Computação na Cloud sem falar em migração aplicacional. Mas o que significa fazer uma migração para a cloud?

A migração para a cloud acontece as capacidades de um data center quando se movem para a Cloud, normalmente com o objetivo de tirar partido da infraestrutura disponibilizada pelo Cloud Provider e de algumas vantagens inerentes que iremos explorar mais à frente.

Existem várias formas de realizar uma migração, sendo comum utilizar-se uma das estratégias dos 7 R’s:

  • Rehosting 

Também conhecida por “lift-and-shift”, consiste na migração de servidores ou aplicações, tal como existem atualmente, de um data center, normalmente on-prem, para a cloud sem aproveitar as vantagens e as capacidades da cloud.

  • Replatforming 

No caso do replatforming, podem ser feitas algumas otimizações com um objetivo específico sem, no entanto, se alterar a arquitetura base das aplicações. Um bom exemplo disso é a redução do tempo de administração da base de dados quando se passam a usar bases de dados geridas como a AWS Relational Database Services (AWS RDS) num modelo database-as-a-service.

  • Repurchasing 

Quando se muda para um produto diferente, normalmente através da mudança de um serviço licenciado para um modelo SaaS.

  • Refactoring/Re-architecting 

Consiste em mover uma aplicação e modificar a sua arquitectura tirando partido das funcionalidades cloud melhorando a performance, agilidade e segurança.

  • Relocate

Quanto seguimos uma estratégia focada em Relocate, movemos a infraestrutura para a cloud sem adquirir novo software, sem reescrever as aplicações ou sem alterar as suas capacidades. É um cenário específico para migrações de VMWare Cloud em AWS.

  • Retire

Consiste em remover aplicações que já não são necessárias.

  • Retain

Quando não se pretende fazer a migração da aplicação imediatamente, esta é a estratégia a usar, já que pode ser revisitada no futuro ou simplesmente ficar fora do processo de migração.

Quando existe um grande número de aplicações para migrar, é comum que se utilizem diferentes estratégias de acordo com os servidores ou aplicações em questão.

Principais motivações para a migração para a cloud

De modo a manterem-se competitivas e abraçarem as inúmeras inovações de que necessitam para potenciar o seu negócio, grande parte das organizações encontra as respostas para as suas necessidades na cloud.

Existem diferentes razões que levam uma empresa a migrar para a cloud – desde a redução de custos, a possibilidade de atuar de forma global rapidamente ou até mesmo a consolidação de data centers, contudo o discurso tem mudado ligeiramente. A gestão de topo das empresas procura, mais do que reduzir os custos e aumentar a eficiência – ainda que seja possível alcançar 20% a 50% de redução de custos quando comparamos on-prem e AWS* – acelerar o negócio e transformar a experiência do consumidor final, através da transformação digital e da modernização.

*IDC #US43535718 – Fostering Business and Organizational Transformation to Generate Business Value with Amazon Web Services; Fevereiro 2018
** Nucleus Research – Guidebook Understanding the Value of Migrating from On-premises to AWS for Application Security and Performance; Junho 2020

Tudo isto é possível graças aos vários benefícios da Cloud AWS:

  • Fácil utilização

Através da AWS Management Console, é possível gerir, de forma simples, os serviços cloud provisionados. Isto também é possível através da utilização de APIs de acesso aplicacional totalmente documentadas, que permitem um alojamento rápido e seguro.

  • Flexibilidade

A AWS disponibiliza um ambiente virtual que permite carregar o software e serviços que as aplicações necessitam, escolhendo o sistema operativo, a linguagem de programação, motor de base de dados entre outros serviços de acordo com o que é necessário. Tudo isto facilita os processos de migração aplicacional preservando as opções para a implementação de novas soluções.

  • Eficiência de custos

Com a manutenção e atualizações da responsabilidade do cloud provider, as empresas que migram para a AWS podem ter custos mais baixos com as suas operações de TI, podendo assim canalizar mais recursos para a inovação e desenvolvimento de novos produtos. Com um modelo pay-as-you-go, os custos são apenas referentes ao poder computacional, armazenamento e recursos que se usa, evitando desta forma custos desnecessários em sobre-provisionamento de máquinas e serviços.

  • Confiabilidade

Com um serviço que opera há mais de uma década, podemos tirar partido da escalabilidade, confiabilidade e uma infraestrutura computacional global e segura.

  • Escalável

Com uma maior capacidade de escalar a infraestrutura do que em modelos on-prem, é possível suportar aumentos das necessidades computacionais ou dar resposta a mais utilizadores. Não há necessidade de adquirir novo hardware para armazenamento, capacidade computacional, software, licenças ou até equipamento de redes. Esta elasticidade pode ser automática mediante determinadas configurações ou despoletada manualmente de acordo com necessidades esporádicas.

  • Alta performance

Com uma presença global e geograficamente mais próxima dos utilizadores finais, para além da capacidade de elasticidade, a experiência de utilização é largamente melhorada. As aplicações na cloud podem escalar com maior facilidade para atender a um maior número de utilizadores e maior largura de banda.

  • Segurança

A segurança é a principal prioridade nas soluções AWS, com uma abordagem end-to-end para garantir a robustez da infraestrutura que incluem medidas operacionais, de software e físicas. Utiliza por base um modelo de responsabilidade partilhada em termos de segurança entre o cliente e a própria AWS.

Os desafios da migração

Apesar de já existir uma grande quantidade de empresas que tiram partido das diferentes vantagens da cloud, chegando inclusive a assistir-se a um aumento significativo de migrações cloud-to-cloud, a verdade é que ainda há muitas empresas que não iniciaram esta jornada.

Mesmo existindo várias razões para as empresas mudarem para a cloud, continuam a existir alguns desafios para os clientes que pretendem fazer essa migração. Mas é aqui que a Devoteam A Cloud pode ajudar a alcançar os objetivos de negócio pretendidos.

  • Diferentes Infraestruturas e sistemas operativos

Muitas empresas têm um parque aplicacional muito diversificado, com diferentes infraestruturas e sistemas operativos tanto em tipologia como em termos de versões.

  • Aplicações Legacy

Por vezes temos aplicações que já existem há muito tempo e que poucas pessoas sabem como lidar com elas.

  • Bases de Dados complexas

Algumas bases de dados, por terem sofrido alterações ao longo do tempo, tornam-se muito complicadas de gerir e migrar.

  • Workloads sobrecarregados

Muitos dos workloads aplicacionais, para além de poderem ser muito complexos, estão também por norma sobrecarrecagos e estão constantemente a ser atualizados, sendo importante garantir que não há dados que ficam perdidos durante a migração, devido a uma interrupção do serviço.

  • Problemas de compatibilidade

Quando replicamos servidores para infraestruturas diferentes, tais como de data centers on-prem para cloud AWS, é necessária a conversão das máquinas para permitir que replicações continuem a ocorrer no ambiente cloud. Isto inclui alterações nos hypervisors, drives e outras variações. Sem a devida conversão essas transições entre a máquina física e as variações de hypervisor podem resultar em instâncias inoperáveis.

  • Skills especializados

Os processos de migração, tipicamente, requerem conhecimento cloud especializado e recursos TI significativos para implementações com sucesso de projectos complexos. Este tipo de recursos é normalmente difícil de contratar no mercado de trabalho.

  • Downtime e interrupções

Um dos grandes objetivos das empresas é minimizar o tempo de inoperabilidade e evitar disrupções de performance nas aplicações críticas ao negócio.

  • Tempo e budget limitado

Tempo e budget acaba por ser uma restrição quase universal, mas com o devido acompanhamento e rigor é possível contornar as restrições operando de forma eficiente.

Ultrapassando os desafios

De modo a tirar total partido das vantagens da migração para cloud e ultrapassar os desafios descritos, a AWS criou uma abordagem assente em 3 fases para facilitar este processo.
Suportada por vários serviços especializados dentro da AWS bem como com o apoio dos Arquitetos de Soluções em sintonia com os parceiros especializados, esta abordagem é não só um veículo para o sucesso como também uma forma eficiente e abrangente de abordar o processo de migração.

Esta framework de três fases permite o acesso a ferramentas com o objetivo de redução de custos bem como automatização e aceleração da execução. Esta abordagem conta com um modelo de conteúdos e formação personalizados, com a participação dos Serviços Profissionais especializados da AWS, uma rede global de parceiros com capacidade e competência para migrações de larga escala e também com investimento da AWS.

Assim é possível construir fortes fundamentos da Cloud AWS, acelerar o processo, reduzir os riscos e mitigar o custo inicial da migração, tirando partido da performance, segurança e agilidade da Cloud.